O Conselho Cármico e a Evolução Espiritual no Planeta


              A Suprema Ordem é mantida através do Serviço co-criativo da Grande Hierarquia, a qual, através da aplicação das Leis Divinas, gerencia à evolução espiritual planetária. Para fazê-lo, ela se organiza em um Conselho interdimensional, que se interpenetra através das múltiplas esferas, estando, portanto, representado em todas elas. Esta organização multifacetada tem uma instância superior e inúmeras instâncias intermediárias, as quais formam uma imensa teia de relações. Tal teia estabelece a aplicação de mecanismos de ação e reação sobre os eventos que compõem a existência da pessoa humana, bem como das almas que pertencem aos outros reinos, incluindo o Angelical e o Elemental.

                Sendo o Conselho Cármico uma organização interdimensional, ele não se encontra atrelado a nenhuma esfera em particular. O que significa dizer que tal entidade, que distribui a misericórdia do Senhor entre todos os seres viventes, representa a neutralidade que é intrínseca às Supremas Leis. Há um uníssono de propósitos da Grande Hierarquia para com Deus e, desta forma, este Sagrado Tribunal representa a Justiça Divina. A atribuição que nos cabe é a de distribuir oportunidades de redimir à alma, o que se manifesta por meio de experiências de vida e relações interpessoais que cada um merece estabelecer em diferentes momentos de sua trajetória espiritual.
                Os principais membros da instância superior do Conselho Cármico terreno são:
                - Shiva, o aspecto do Quartênio Original (e do Ternário Divino), responsável pela destruição ou dissolução dos padrões vibratórios que compõem a qualquer aspecto da existência;
                - Lord Saithru, Manu da sétima raça-raiz, aquele que dará origem às almas avançadas que conduzirão a Terra à condição ascensionada da consciência, e que atua como o dirigente executivo do Conselho;
                - Pórtia (eu mesma), a Mãe Divina da Era de Aquário, e porta-voz do Conselho, que atua como intermediária entre diferentes instâncias da organização;
                - Saint Germain, o Mahachohan, Regente da Era de Aquário e Chohan do sétimo raio;
                - Mestre Hilarion, Chohan do quinto raio;
                - Mestra Kuan Yin, hierofante do Templo da Misericórdia, em Pequim;
                - Mestra Nada, Chohan do sexto raio;
                - Arcanjo Miguel, dirigente dos Arcanjos;
                - Arcanjo Rafael, entidade arcangelical que atua com o quinto raio; e
                - Elohim Vista, entidade elemental do quinto raio.
                Reunimo-nos, a fim de darmos direcionamento às nossas deliberações, em duas ocasiões semanais. Nestes momentos, fazemos uso de nossas habilidades co-criativas, para, através de meditação, travarmos contato entre nós, desenvolvendo rápida comunicação, o que nos permite dar direção à ação das demais instâncias interdimensionais do Conselho. Afora isso, realizamos quatro reuniões anuais de maior porte, a cada três meses terrenos. Elas ocorrem sempre no último dia dos meses de março, junho, setembro e dezembro. Esta última é a congregação de maior importância, quando obtemos uma síntese das realizações anuais da instituição. Tal síntese compreende o resultado dos esforços em torno das diferentes temáticas elegidas como os focos centrais de todas as quatro reuniões.
                Para ilustrar como isso acontece, disponho abaixo das temáticas das primeiras duas reuniões deste ano de 2012. Percebe-se haver entre elas interligação e, portanto, continuidade entre as quatro reuniões anuais. Aqueles que se encontram encarnados na oitava física planetária podem acompanhar ao andamento destes eventos, bem como a repercussão dos resultados durante eles obtidos. Estamos dispensando, através de alguns pontos de apoio planetários, certos detalhes da intimidade de tais reuniões. A Ordem de Zadkiel, que a princípio se encontra ancorada na oitava física brasileira, estará encarregada da difusão de uma parte de tais dispensações.
 
                Temáticas da Reunião de março:
- Outorga de processos alternativos de cura para áreas onde as pessoas vivem sob condições precárias de existência;
- O problema das fontes de instrução espiritual paralelas à dispensação atual oficial da Grande Fraternidade Branca, que possam estar dificultando o processo de avanço das almas da Terra e/ou negando acesso aos Mensageiros da mesma dispensação;
- Necessidade de se dar assistência específica às almas que vivem em áreas belicosas do planeta;
- Atenção especial que se faz necessária para mulheres e crianças em situação de desamparo;
- A existência de focos humanos que distraem as atenções coletivas, entretendo suas mentes com questões desnecessárias;
- Problemática da crueldade com animais, mesmo no momento atual da consciência da humanidade; e
- Preocupação com a promoção do mau uso da Ciência e da Tecnologia.
 
 
Temáticas da Reunião de junho:
- Ausência total de espiritualidade em grande parte da comunidade humana planetária, que deve ser combatida através de remoções das almas excessivamente retardatárias, e por meio de propagação do Conhecimento Espiritual na tentativa de resgatar algumas;
- Presença de espiritualidade não condizente com a demanda da Era, que precisa ser substituída por outros padrões mais próximos do ideal, com outorga de benefícios aos que acederem aos chamados da Hoste e reações cármicas desfavoráveis para os casos de atitude inversa;
- Presença de espiritualidade condizente, porém, com entraves impostos aos mensageiros da Regência atual, principalmente, os diretamente envolvidos com a Missão Crística da Era, com as mesmas outorgas do ponto anterior; e
- Presença de espiritualidade condizente: sem entraves, porém, ainda marcada por dúvida e descrença, o que pode causar entraves aos Servidores; ou com rendição total, que é a atitude desejável e, portanto, foco de benefícios a serem outorgados a seus detentores.
Estes enfoques da reunião de julho compreendem a solução para as temáticas apontadas na reunião de março. Na reunião de setembro, que ainda está por vir, deliberaremos sobre que espiritualidade é está que condiz com as necessidades da Era de Aquário, e que foi apontada, no encontro de julho, como a principal meta a atingirmos. É importante que as pessoas que busquem conectar-se com tais congregações do Conselho Cármico, percebam-se a si mesmas como integrantes de tais mecanismos terrenos sobre os quais deliberamos durante as mesmas.
Faz-se necessário que cada um se faça receptivo para as influências de tais deliberações, abrindo-se para as reformas íntimas pessoais que se farão necessárias. Desta forma, age-se em uníssono com os interesses da Grande Hierarquia, os quais representam os propósitos de Deus. Desejamos que todos os que habitam a oitava física terrena se façam participativos da ação interdimensional do Conselho Cármico. Para tanto, estamos buscando maneiras de nos aproximarmos cada vez mais de vocês. Façam-se nossos aliados, e juntos trilharemos ao caminho da evolução espiritual planetária.
 
                                 Pórtia (08/08/12)


Conteúdo obtido por sintonização através de Valéria Moraes Ornellas, Sacerdotisa da Ordem de Zadkiel e co-fundadora da Editora Sétimo Raio, Rio de Janeiro – RJ, e originalmente publicado neste blog. Se desejar divulgar este texto, favor citar devidamente a autoria e a fonte original da publicação. 
 

domingo, 5 de agosto de 2012

O Conselho de Shamballa e suas Deliberações


            Em Shamballa existe um Conselho que, junto dos dirigentes da Grande Hierarquia planetária, delibera sobre assuntos importantes e co-cria planos e formas de execução dos mesmos. Este Conselho é formado pela Chama Trina dirigente, os Chohan dos sete raios e, conforme as necessidades, por hierofantes dos Templos etéricos e representantes dos Reinos Angelical e Elemental. Ele se reúne com periodicidade equivalente a que se percebe como diária na esfera física, e suas reuniões duram cerca de 30 ou 40 minutos terrenos.
                Sempre que se faz necessário, planejamos e executamos meditações co-criativas sequenciais, a fim de desenharmos causas e precipitarmos consequências que desejamos precipitar, de modo a executarmos com a parte que nos cabe executar dentro da Obra Divina. A cada período que antecede aos Festivais da Lua Cheia e da Colheita dos Reinos, realizamos as reuniões deste Conselho baseadas na organização destes eventos. Neste caso, começamos a organizar os mesmos Festivais com antecedência mínima de um mês antes do início de cada um. Os preparativos para os eventos da Lua Cheia envolvem quatro meses de co-criações, as quais tem iniciativa de tais reuniões do Conselho.
                Meditações co-criativas são conjuntos de interações intuitivas que desenvolvemos para, através do intercâmbio de impressões e de proposições, estabelecermos uma unidade de propósito, a partir da qual direcionamos a ação dos Servidores da Hoste, em torno do que precisa ser realizado. Partindo de tais interações, outras são desenvolvidas em diferentes âmbitos de ação da Hierarquia, mas nosso uníssono de interesses permite que haja total continuidade e reciprocidade entre as interações destes diferentes âmbitos.
                A fim de ilustrar a atuação do Conselho de Shamballa, gostaria de mencionar os preparativos com os quais estivemos ocupados no período que se equivale aos meses de março a junho deste ano de 2012. Organizamos nossas tarefas em torno de uma Chama Trina funcional, cujo impulso do raio azul se manifestava no Festival do Cristo, o amarelo no Festival de Wesak e o rosa no Festival de Asala. Co-criamos formas etéricas para visualização, e trabalhamos com a troca de ideias por meio de comunicação etérica, a qual se equivale a um tipo de telepatia das intuições superiores.
                Como estávamos interessados particularmente em precipitar a energia da Mãe Divina para a Terra, preparamos Pórtia para assumir seu cargo e, mais do que isso, endereçamos nossas atenções para as manifestações da missão do Regente da Era, as quais precisam se intensificar neste ano de 2012. Os três Festivais da Lua Cheia compreenderam uma sequência de co-criações, que envolveram as energias dos raios que predominam nos meses do ano correspondentes, voltadas à descida do que cabe ao momento como parte do Plano Divino para a Era de Aquário. Da mesma forma, as reuniões do Conselho giraram em torno de tais questões ao longo do mesmo período.
                Contamos com a participação dos hierofantes de todos os Templos Etéricos, além dos participantes usuais do Conselho. No mês que antecede o Festival da Colheita do Reino Angelical, nos ocuparemos com a organização do mesmo e, para tanto, haverá a participação dos Arcanjos e de representantes de outras Hierarquias do mesmo Reino. Isso também acontecerá quando estivermos preparando os outros dois Festivais da Colheita. Desta forma, há sempre uma questão específica que compõe ao foco central de tais reuniões.
                O Conselho de Shamballa tem importante função no estabelecimento da Ordem dos eventos que devemos manifestar na esfera física. Seus integrantes se encontram ocupados com diferentes encargos que lhes são destinados dentro da Sagrada Hierarquia. De acordo com as habilidades e funções peculiares a cada um dos mesmos, eles podem contribuir com o conjunto de maneiras específicas. O fato é que dependemos uns dos outros a fim de realizarmos nossas co-criações e, portanto, formamos esta Grande Fraternidade Branca. Sendo o Conselho de Shamballa um momento de sérias deliberações e co-criações, ele se corresponde à Mente e ao Coração da nossa Hierarquia.
                Muitos podem senti-lo e suas influências sobre o planeta a partir de suas meditações e, para tanto, sugiro que se deixem envolver por emanações coletivas de Shamballa que possam alcançá-los a partir de tais reuniões. Elas acontecem por volta das 20 horas da esfera física, e este horário independe de fuso horário, pois nos encontramos em uma plataforma alheia à linearidade a que vocês se encontram submetidos. Este horário é uma referência que pode ser empregada para vocês se conectarem com as influências do Conselho de Shamballa, a partir de qualquer região da Terra, pois ele será um ponto de suas interseções com o nosso momento, o qual se refere a nossa interação com uma condição planetária, que envolve não incidência de raios solares e/ou posição da Terra com relação à lua e outros astros.
                Porém, aviso-os que não há autorização para que qualquer alma adentre ao Conselho, exceto quando venha a ser oficialmente convidada para tanto pelos dirigentes de Shamballa. Tais convites contém em si o acesso magnético necessário, que funciona como uma chave que abre às portas de tais reuniões para aqueles que são necessários dentro delas. Desejo que muitos de vocês venham a frequentá-las, como Servidores Ascensionados da Grande Fraternidade Branca. Mas, mesmo que ainda não tenham tal acesso, travem contato com suas influências, as quais irradiarão espontaneamente para todos que assim o desejarem.
 
                                      Gautama

Conteúdo obtido por sintonização através de Valéria Moraes Ornellas, Sacerdotisa da Ordem de Zadkiel e co-fundadora da Editora Sétimo Raio, Rio de Janeiro – RJ, e originalmente publicado neste blog. Se desejar divulgar este texto, favor citar devidamente a autoria e a fonte original da publicação. 

Views: 81

Follow On:

Translate this Site:

Have you?

Become a Member
Invited Your Friends
Made new Friends
Read/ Written a Blog
Joined/ Created a Group
Read/ Posted a Discussion
Looked at/Posted Photos
Looked at/Posted Videos
Made a donation this month
Followed us on Twitter
 Liked us on Facebook

Donate

Donate here (in any amount) if you benefited from attunements or healing or simply want to make a donation to keep the City of Shamballa network running. All donations are greatly appreciated.

Donate

© 2009-2018   Chris Comish d/b/a The City of Shamballa Social Network   Powered by

Badges  |  Report an Issue  |  Privacy Policy  |  Terms of Service